30 de outubro de 2012

Criança morre após parto mal-sucedido e família acusa médico de negligência em Caicó



hematomas na barriga de Carla indicam sinais de parto forçado

Uma grave denúncia envolvendo o Hospital do Seridó e o médico e ex-vereador Valdemar Araújo veio a tona ontem através da imprensa. Segundo o relato, no último dia 27 de outubro de 2012, por volta das três horas da madrugada, deu entrada no Hospital do Seridó em Caicó, a paciente Carla Simone dos Santos.

Ela estava em trabalho de parto e foi submetida a um exame de toque, ficando constatado que a mesma se encontrava com um centímetro (1 cm) de dilatação.


Oito horas após sua entrada  no hospital, Carla foi submetida a outro exame de toque, realizado pela parteira, e mais uma vez ficou evidente que a gestante ainda se encontrava com um centímetro de dilatação. Dessa forma, concluiu-se que, após oito horas de internação, a paciente não tinha aumentado a dilatação.


Às 13 horas do dia 28 começava o drama de Carla que ia culminar com a morte de sua filha, a pequena Carol. Ela começou a passar mal e, segundo seu próprio relato, chegou a desmaiar, ficando desacordada. Foi esse momento que, segundo o marido da gestante, o médico Dr. Valdemar Araújo, que é ex-vereador, se recusou a prestar socorro a mesma.


Às 14h:30min, o quadro da paciente se agravou. Os familiares e esposo começaram a implorar para que Dr. Valdemar prestasse socorro a Carla Simone. Nesse instante, o esposo da paciente teria perguntado se o médico iria deixar a filha e a mulher dele morrerem. Valdemar teria dito sarcasticamente que “ Ela podia morrer, e que até ele também  morreria um dia”.


Ás 15 horas a situação se agrava drasticamente e o médico leva Carla desacordada para sala de parto normal. O relato diz que durante todo esse período Valdemar Araújo se recusava a fazer o parto cesáreo.


Valdemar ainda ordenou ao policial de plantão que retirasse todos os familiares da paciente do interior do hospital e teria mandado uma enfermeira dizer que estava tudo bem, que Carla Simone já se encontrava com 8 centímetros de dilatação e que naquele exato momento a criança já estaria nascendo.


Outros profissionais que examinaram a paciente posteriormente afirmam que não acreditam que a mesma estivesse, no momento do parto, com a dilatação necessária, pois ela apresentava traços de quem teria sido vítima de um parto forçado. Alguns desses profissionais chegaram a demonstrar repúdio e até se emocionar com a violência sofrida pela mãe e a criança.
Pequena Carol morreu por negligências daqueles que deveriam resguardar sua  vida
Três horas depois de ser levada desacordada para sala de parto, a criança finalmente nasceu. No momento em que a criança estava nascendo percebeu-se que a mesma se encontrava asfixiada. O cordão umbilical havia laçado seu pescoço, levando-a a ter uma momentânea parada respiratória após o parto. Dessa forma, o nascimento ainda não representava o fim da angustia daquela mãe e sua filha. Diante da gravidade da situação,  ambas foram levadas para Currais Novos. A criança estava em estado gravíssimo em decorrência do parto forçado. O relato diz que a recém-nascida, que se chamaria Carol, sofreu machucados que se transformaram coágulos na sua cabeça e veio a falecer horas depois.

DESENROLAR DOS FATOS:

FUNDAÇÃO APURA O FATO

A fundação Carlindo Dantas , responsável pelo Hospital do Seridó está apurando o fato e a denúncia de negligência contra o médico Valdemar.

MÉDICO PERMANECE EM SILÊNCIO


Foi tentado um contato por parte da imprensa com o médico, na tentativa de ouvir sua versão para o lamentável fato, mas ele disse que só se pronunciaria através de advogado


MINISTÉRIO PÚBLICO ENTRARÁ NO CASO PARA APURAR RESPONSABILIDADE


Está marcada para às 14 horas de hoje (28) uma reunião em caráter de urgência com o promotor Diogo Cantídio e com familiares das vítimas.Ainda farão parte da audiência representantes do CRM e membros da direção da Fundação Carlindo Dantas


DENÚNCIA MOTIVOU OUTRA MÃE A RELATAR MORTE DE FILHA


Relatos extraoficiais indicam que, motivada pela denuncia dos familiares de Carla Simone, outra mãe identificada como Alane Cristina  Almeida teria vindo a público expor um outro caso de morte de recém-nascido envolvendo o mesmo médico. Caso se confirme traremos os detalhes ainda hoje.


V&C

Nenhum comentário:

Postar um comentário