18 de maio de 2016

Dados do Ministério mostram evolução do chikungunya no Brasil

zikaDados do Ministério da Saúde (MS) correspondentes ao período de 3 de janeiro a 4 de abril mostram evolução no comportamento da febre chikungunya no Brasil, com significativo aumento do número casos e de óbitos nos municípios afetados. Até abril de 2016, foram notificados 39.017, sendo 6.159 confirmados. O número contrasta com o somatório de casos registrados em 2015, que chegou a 13.236.
Em comparação com 2015, quando ocorreram seis casos de óbito, até abril de 2016 já se computa um aumento de duas vezes do número óbitos: 12 casos foram confirmados laboratorialmente, sendo que 9 deles ocorreram no Recife. Também houve uma sensível mudança na mediana de idade dos óbitos. Em 2015, a faixa etária com mais óbitos estava na casa dos setenta anos (mediana: 75), sendo que até abril de 2016 a mediana está em 62 anos.
A análise da taxa de incidência de casos prováveis (número de casos/100 mil habitantes) mostra que a Região Nordeste foi a mais atingida, apresentando um percentual de 56 casos/100 mil habitantes. Os estados de Sergipe e Bahia, seguidos por Pernambuco e Rio Grande do Norte, apresentaram as maiores taxas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário